Hospedagem Profissional

Hospedagem Profissional
Clique aqui e ganhe US$ 10,00 para testar durante 1 mês a melhor hospedagem: Digital Ocean!

terça-feira, 3 de abril de 2012

Comparativo PMBOK x Scrum

Este é um ótimo artigo escrito por Élio Rodrigues em seu site http://elirodrigues.com

Sempre houve muita polêmica entre os “partidários” do PMBOK e Scrum, muitos acreditam precisar optar, mas as diferenças começam no entendimento da natureza distinta, mas não excludente que os permeia. O PMBOK é um guia de boas práticas, dividido em grupos e processos [1], já o Scrum é um framework (estrutura) com cerimônias, artefatos e papéis definidos [2]. Como comparar um guia a uma estrutura?

Sendo uma estrutura, o Scrum permite adições e exclusões, desde que não interfiram em seus 3 princípios: Transparência, Inspeção e Adaptação [2]. Desse modo, pode-se dizer que tecnicamente seria possível adicionar processos adaptados do PMBOK ao Scrum, mas vale a pena?

O Scrum se adapta mais a projetos cujo escopo é mutável e/ou parcialmente desconhecido. No PMBOK não conhecer o escopo (ou pelo menos parte dele) inviabiliza o planejamento e assim, a execução do projeto. O Scrum aceita incertezas, trabalha com priorizações (valores de negócio) e ciclos curtos de entregas. O PMBOK trabalha com riscos, pode priorizar entregas (embora não comente sobre isso)  e fazer ciclos de entregas (planejamento em ondas sucessivas). Futuramente vou apresentar um processo híbrido, mas por hora, irei apenas fazer um comparativo entre PMBOK e Scrum.

Metodologia

Para realizar esta análise, tomei como linha de base o PMBOK, por possuir processos em maior granularidade que o Scrum, facilitando comparativos. Listei todos os processos, criei uma escala de 0 a 4 pontos (0 – Não atende e 4 – Atende completamente) demonstrando o grau de atendimento, pontuei o Scrum em relação a cada processo e adicionei comentários com o racional.

A quarta edição do PMBOK está estruturada em 5 grupos de processo, 9 áreas de conhecimento (ou disciplinas) e 42 processos. Na metodologia utilizada, cada processo vale até 4 pontos, deste modo, o total possível de pontos é de 168 (4 pontos x 42 processos).

Obs: A análise foi subjetiva e pessoal, é passível  de discussão e por isso disponibilizei a planilha paradownload, caso alguém deseje complementar o estudo.

Resultados

De acordo com a análise realizada, o Scrum atende a 42% dos processos do PMBOK (somando 70 dos 168 pontos). A Figura1 apresenta o atendimento percentual de cada uma das nove Área de Conhecimento, ficando clara a ausência de processos para tratativa de Custos, Riscos e Aquisições no Scrum e a forte ênfase em Integração, Escopo, Tempo e Recursos Humanos.

Figura1 - Mapeamento dos processos do PMBOK versus Scrum

Para a área de Riscos foi considerado 1 ponto, referente ao “Mapeamento de Impedimentos” (prática diária de responsabilidade do Scrum Master), pois se a equipe levantar os impedimentos com antecedência, pode-se evitar problemas, uma forma “primitiva” de gerenciamento de riscos. No entanto, acredito que certas características do Scrum previnem problemas comuns e isso seria uma forma de gerenciamento de riscos (I.E. Sprints com tempo pré-definido, revisões de entregas, reuniões de retrospectiva, ter um SPOC*, ter um plano de comunicação etc).

*SPOC = Single Point of Contact

Figura2 - Atendimento do Scrum aos grupos de processo do PMBOK

A Figura2 apresenta o atendimento por grupos de processo e mostra claramente a preocupação do Scrum com Planejamento, Monitoramento e Controle e Execução, deixando fora do escopo doframework os grupos de Iniciação e Encerramento. Ainda assim, considerou-se a “Definição da Visão do Projeto”  como o equivalente ao “Desenvolver o Termo de abertura” (4.1) , pontuando-se com 1 ponto (de um total de 4). Para o ”Encerrar o projeto ou fase” (4.6), foram considerados 2 pontos, pois o Scrum controla o andamento do projeto, o encerramento de cada fase e as lições aprendidas, embora não determine em detalhes como encerrar um projeto (resolver pendencias, encerrar contratos, registro de questões etc).

Figura3 - Atendimento do Scrum por áreas de conhecimento do PMBOK

E finalmente, na Figura3 pode-se ver que das 5 áreas que possuem maior número de processos no PMBOK (Integração, Tempo, Riscos, Escopo e Comunicação), 4 também são priorizadas pelo Scrum, tendo como única exceção a área de riscos.

Conclusão

O Scrum que originalmente era exclusivo do desenvolvimento de software, atualmente tem sido aplicado em diversas áreas como: Recursos Humanos, Finanças, Publicidade, Traduções de textos e ainda pode ser aplicado em muitas outras, que requerem menos formalidade e possuam o ambiente propício. Ainda assim, seus “redatores” tem se preocupado em tornar o framework cada vez mais simples e adaptável, caminho inverso do PMBOK.

Se me permitem uma sugestão, sugiro que o Scrum adote práticas de Gerenciamento de Riscos e não apenas impedimentos e lições aprendidas, estando assim alinhado aos grupos de processos mais significativos (com maior número de processos) do PMBOK, ou seja, cobrindo a maior parte das necessidades de um projeto.

Bibliografia

[1] Introdução a Gestão de Projetos -  http://elirodrigues.com/gestao-de-projetos/gestaoprojetos/

[2] Scrum Guide – http://www.scrum.org/storage/scrumguides/Scrum%20Guide%20-%20PTBR.pdf

[3] Sopa de letrinhas da Gestão de Projetos - http://clarifygp.wordpress.com/2012/02/16/sopa-de-letrinhas-da-gestao-de-projetos/

Fonte: Élio Rodrigues