Hospedagem Profissional

Hospedagem Profissional
Clique aqui e ganhe US$ 10,00 para testar durante 1 mês a melhor hospedagem: Digital Ocean!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Horganograma Empresarial

Qualquer semelhança com a sua realidade não é mera coincidência. Viu Zé!?

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Vaga para Professor de Informática Básica em Cuiabá

Professor de Informatica para atuar no Colegio São Mateus.
Vai dar aula desde o Maternal ao Ensino Fundamental.
Período Diurno
Contratação de Imediato (está precisando com urgência)

Falar com Silvana

Avenida Itália, 16 E 17 - Jardim Tropical
Cuiabá - MT, 78065-120
(0xx)65 3634-3000 

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Oferta de Estágio para Recarregador de Cartuchos em Cuiabá

RECARREGADOR DE CARTUCHOS TONER E TINTA E QUE TENHA HABILITAÇÃO DE MOTO.

SALARIO SUPERIOR A R$ 1.000,00.

CARGA HORARIA: 2 A 6ª DAS 08: AS 18:00 COM UMA HORA DE ALMOÇO.

JM INFORMATICA - EMPRESA A 5 ANOS NO MERCADO.
 
EM VARZEA GRANDE.

CURRICULUM ATRAVÉS DO EMAIL:
jm_informatica@terra.com.br
PESSOA COM EXPERIÊNCIA COMPROVADA.
CONTATO: 65 3026-8866
JULIO CESAR

domingo, 20 de fevereiro de 2011

O grande experimento chileno com tecnologia

Matéria interessante de André Faust da Revista Exame, ótima idéia para o governo Brasileiro se inspirar, não concordam?

Na corrida pela criação de polos de inovação, o governo do Chile lança mão de uma fórmula original para fundar seu próprio Vale do Silício

O grande experimento chileno

Prometem-se: um par de bois; um arado; uma carroça de madeira; 150 tá­buas; 23 quilos de pregos e um terreno de 70 hectares.” Topar com cartazes desse tipo era algo trivial na vida de cidadãos europeus do século 19. O propósito das promessas era seduzir migrantes à “bela República do Chile, um dos melhores climas do mundo e um Estado livre por excelência”. A estratégia para fazer prosperar o jovem país, mesmo à época, não era nova — tampouco original. Concorria com a de outras nações do Novo Mundo, Brasil incluído, e tinha como maior exemplo o rápido desenvolvimento dos Estados Unidos naquelas décadas, uma nação forjada com milhões de habitantes de outros continentes em busca de uma vida melhor.

Imitar o modelo de crescimento americano tem sido, não sem razão, uma prática comum de governos de todo o mundo. Na área de tecnologia, nenhum lugar tem sido tão cobiçado quanto o Vale do Silício, de onde saíram as empresas de tecnologia mais inovadoras do mundo, responsáveis por fundar as bases da economia digital. Em toda parte, países têm investido um bom dinheiro, Brasil outra vez na lista, no esforço de replicar o prodígio californiano. Até agora, porém, praticamente todas as empreitadas para criar celeiros de inovação seguiram o mesmo roteiro. Primeiro ato: fortalecer uma universidade de pesquisa. Segundo: construir um parque tecnológico. Terceiro: oferecer incentivos fiscais — e, por fim, sentar e esperar a mágica acontecer. A cena final lembra os filmes de faroeste, com o cricrilar de grilos e fardos de feno levados pelo vento no desolador cenário do deserto americano. Sinopse da aventura: nada, ou quase nada, acontece.

É aqui que o Chile entra outra vez na história. “Oferecem-se: espaço para escritórios; mentoring; networking com investidores; visto de um ano; 40 000 dólares para investir em projeto de tecnologia a ser desenvolvido localmente.” Eis a estratégia para, no século 21, criar, do zero, um dos maiores polos de inovação do mundo: convencer algumas das mentes mais brilhantes da atualidade a fundar e desenvolver suas empresas de tecnologia — por que não? — no Chile. O experimento, batizado de Start-Up Chile, já é uma das vitrines do governo do presidente Sebastián Piñera e vem na esteira de projetos e reformas para elevar a competitividade do país. “Sabemos que pode parecer uma ideia um pouco louca”, diz Jean Boudeguer, diretor executivo do programa e ex-executivo da LAN. “Mas também achamos que, com ela, podemos mudar o mundo.” Ao “importar” empresas em estágio embrionário, o modelo chileno tem um novo ponto a provar: não são universidades, parques tecnológicos espaçosos ou baixos impostos, afinal, que fazem a inovação acontecer. São empreendedores.

Leia a matéria completa em : http://tinyurl.com/45o5wty

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Ambiente Infeliz de Trabalho: Como Sobreviver?

Esse artigo é do Pablo do blog Room4d e vale muito a pena refletir.

Existem coisas que você pode tentar mudar em relação à sua abordagem no trabalho. Considere estas soluções para sobreviver e até – quem sabe? - evoluir num trabalho que está abaixo das suas expectativas:

1. Encare a realidade. Lembre-se que durante uma recessão, ou mesmo num período de lenta recuperação, pessoas de todos os níveis vivenciam a dor que o cenário econômico provoca. Tal clima torna mais difícil largar um trabalho, mas também isso não quer dizer que você precise se sentir preso. O melhor é aceitar o fato de que esse trabalho definitivamente não é onde você gostaria de estar (mesmo que não possa fazer uma mudança hoje). Mas comece a dar passos para mudar as coisas. Diga a si mesmo: “Aqui é onde estou e é onde vou ficar durante algum  tempo”. Você tem mais controle sobre a forma como pensa do que imagina. Entenda o que está sentindo e que, se aparecer no trabalho irritado, isso vai afetar o seu desempenho.

2. Desenvolva um plano. Seja proativo. Discuta suas idéias com amigos que você confia e com a própria familia. Se há algo que gostaria de mudar, avalie se seu chefe  é acessível e, se for, qual seria a melhor tática para abordá-lo. Se você tem sugestões, discuta como elas poderiam melhorar seu desempenho (entre outras coisas). Talvez a área de RH possa também ajudar de alguma forma, desde apoiá-lo a encontrar uma outra posição dentro da empresa (no qual seu perfil se encaixe melhor), até assisti-lo em melhor equilibrar trabalho / vida pessoal.

Você poderia também tentar aprender uma nova habilidade. No mínimo, isso vai ajudá-lo numa nova oportunidade de trabalho. Tal iniciativa também pode fortalecer sua auto-confiança e levá-lo inclusive para novas possibilidades dentro do seu trabalho atual.

Finalmente, considere realizar-se fora do seu trabalho. Ter um ou dois interesses externos vão lhe permitir  uma válvula de escape e uma boa atividade pela qual aguardar ansiosamente.

3. Encontre (ou enfatize) o lado positivo. Faça uma lista dos pontos positivos do seu trabalho. Você pode estar contente pelo plano de saúde e outros benefícios que possue. Pode gostar dos seus colegas ou do fato de não precisar de muito tempo para chegar lá. Talvez conte com uma academia de ginástica fora-de-série no local, ou curta a oportunidade de viajar constantemente ou o programa de coaching que a empresa lhe oferece para alavancar sua carreira. Listar o que gosta à respeito do seu trabalho vai ajudá-lo a alterar sua percepção e evitar que se sinta sem saída. Se você não se conscientizar, a situação vai comprometer seu desempenho, enfraquecer ainda mais a sua satisfação e  fazer com que o tempo lá dentro seja um sacrifício.

Princípios Para Não Esquecer

Insira na sua agenda:

  • Tenha claro o que você pode mudar e o que não pode.
  • Assuma responsabilidade nas mudanças.
  • Foque em fazer do limão uma limonada.

Cancele na sua agenda:

  • Partir do pressuposto que nada vai mudar.
  • Permitir que pensamentos negativos tomem conta de você.
  • Trilhar este caminho sozinho.

Artigo escrito por

Pablo Aversa

Pablo Aversa

@CoachPablo
Aldeia da Serra
Pablo Aversa responde pela Alliance Coaching e pela Room 4D e é um eterno aprendiz com mais de 20 anos no mundo corporativo atuando como líder-coach.
http://www.room4d.com.br

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Procurando um bom programador para sua empresa? Veja dicas.

Essas são excelentes dicas do Diogo Bedran do blog ReadWriteWeb Brasil. Confira!

Uma das perguntas que ouvimos cada vez mais é “Como posso encontrar programadores mais qualificados?” O mercado de bons programadores é extremamente limitado, e as técnicas tradicionais como postar vagas em “job-boards” ou mesmo nas redes sociais, já não produzem mais bons resultados. Então, o que fazer? Compilamos algumas dicas para você que procura um desenvolvedor rockstar para sua empresa.

Comece a busca cedo: Aceite que vai demorar mais do que você gostaria para encontrar a pessoa certa, então planeje agora as contratações que você estará fazendo em seis meses ou um ano. Se você encontrar a pessoa certa muito rápido, faça uma oferta e arrisque pagar o salário por alguns meses antes que você precise de seus serviços. O processo de contratação tomará tempo, então agende as entrevistas com cuidado e sempre priorize uma boa contratação, não uma contratação rápida.

Não espere que eles venham, corra atrás: Os melhores candidatos não estão procurando emprego, eles estão sendo paparicados e mimados na empresa onde já trabalham. A primeira coisa que você precisa buscar é descobrir quem são essas pessoas e entrar em contato com eles. Um dos melhores truques para isto é se juntar a grupos de encontros técnicos na sua área de interesse. Meetups, Hackatons, palestras, ou user groups, sempre são ótimos lugares para se encontrar talentos. Nestes eventos, você terá a oportunidade de ver quem é mais entusiasmado com o trabalho e se comunica melhor, e o lado social é uma ótima maneira de conversar com engenheiros que você provavelmente nunca conheceria. Lembre-se que tem sempre algum happy hour mais techie acontecendo perto de você.

Entendo os anseios do profissional: Para abordá-los levando em conta que eles já tem seus empregos e possívelmente não estão buscando um novo, você terá que entender suas motivações para elaborar algo tentador. Geralmente, os melhores programadores não são atraídos por dinheiro, então descubra se eles querem mais responsabilidade, independência, uma chance de trabalhar com tecnologia de ponta, reconhecimento pelo seus feitos, ou apenas utilizar livremente sua tecnologia favorita. Sente-se com eles para um café, almoço, ou passe um tempo da maneira que quiser. Quando descobrir seus interesses você já pode construir uma proposta que será praticamente impossível de ser recusada.

Promova-se: As pessoas estão muito mais propensas a se juntarem às empresas que elas ouviram falar, startups que são reconhecidas pelo trabalho interessante e desafiador, então aproveite cada oportunidade para falar sobre a ótima tecnologia que você está construindo. Encoraje os seus atuais programadores a blogar e conversar com jornalistas, e tente alcançar comunidades como os agregadores de notícias e blogs do mercado para divulgar suas histórias. Peça a seus desenvolvedores para darem palestras em conferências e para contribuírem em projetos open-source.

Pode parecer doloroso “cortar” um pouco do tempo gasto em desenvolvimento, mas a visibilidade adicional que terá na comunidade de desenvolvimento será uma poderosa ferramenta de recrutamento.

Ajuste-se a eles: Muitas vezes você encontrará um programador que adora a ideia de entrar para uma empresa que acabou de ser fundada, mas quando se trata do risco de deixar a segurança de um emprego estável, ele pensa duas vezes. Tente interpretar a reação deles para uma oferta em tempo parcial ou freelance por algum tempo. Se eles ficarem relutantes, ou não acham tempo em suas agendas, isso pode ser um sinal de que eles podem não estar dispostos a seguir em frente.

Analise as alternativas: Isso pode estar parecendo muito trabalho, então pense bem no que pretende alcançar ao contratar um novo funcionário. Você realmente precisa de alguém com 10 anos de experiência, ou seria melhor encontrar um estagiário inteligente com fogo nos olhos e algo a provar? Muitas vezes, o segundo caso pode ser a melhor solução, formar o talento em casa, e se esforçar para retê-lo.

Os chefes quase sempre subestimam o potencial de seus funcionários atuais, e os recém contratados chegam sem nenhum histórico. Talvez gastar seu tempo treinando seus programadores atuais para assumir maiores responsabilidades possa ser uma boa ideia.  Você consegue encontrar uma empresa de consultoria para ajudá-los em áreas específicas? Como você pode ter certeza que nenhum funcionário seu vai lhe deixar por outro emprego?

E você, tem alguma dica para encontrar, recrutar e reter os seus desenvolvedores rockstars? Compartilhe conosco!